Por volta de 1958, duas professoras universitárias argentinas – uma formada em Artes e a outra em Música -, abriram uma pequena escola, a princípio, na casa de uma delas, por acreditar que era necessário ousar e começar a desenvolver experiências alternativas de educação. Este foi o início do que seriam as Escolas Experimentais no país…

Passados muitos anos de trabalho e de luta, foi criado um método pelos docentes de lá, inspirado na pedagogia proposta por Paulo Freire. No método criado, a arte é utilizada como fio condutor no desenvolvimento do trabalho das disciplinas obrigatórias do currículo.

Desde sua chegada na escola, os estudantes tem contato com pincéis, tintas e instrumentos musicais e, é a partir destes instrumentos-recursos, que os professores conduzem suas aulas.

Para além da questão da arte como condutora dos processos de ensino-aprendizagem, há outros aspectos fundamentais na concepção e no desenvolvimento das Escolas Experimentais na Argentina.

Esta é uma história que vale a leitura!!!

Acesse o site do Centro de Referências em Educação Integral e leia mais detalhes desta história.

 Abaixo, entrevista com Emilio, professor de uma escola pública experimental em Ushuaia, Argentina.

Abraço,

Arteterapeuta Alessandra Rosalles

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

Comments

comments

Deixe uma resposta