Das muitas coisas boas que me chegaram nesta semana, recomendo e multiplico o vídeo abaixo, de Claudio Naranjo, psiquiatra chileno, indicado ao prêmio Nobel da Paz.
Dentre outras coisas, o vídeo me fez lembrar do um livro, também de linguagem e texto muito simples – O que é científico, de Rubem Alves… que me chegou há uns dois anos atrás.
Nos dois textos, o que me encanta, é a discussão tão necessária… da importância do reconhecimento… nos nossos tempos (digo reconhecimento, porque os antigos filósofos já afirmavam a existência de qualidades primárias e secundárias do objeto e a necessidade de trabalha tais qualidades com a mesma intensidade) de que nosso aparato para pensar- aprender… possui uma metade racional e outra intuitiva. E que os aprendizados… também tão necessários à vida… provenientes da dimensão da intuição… só são possíveis através da experiência. Não se referem a um conhecimento que possa ser “estudado”, decorado, meramente transmitido.
Quando não reconhecemos os conhecimentos do campo da intuição como essenciais para o desenvolvimento humano, não abrimos o devido espaço na vida cotidiana para a arte e a fé, por exemplo. E, desta forma, comprimimos dimensões essenciais do humano. Essenciais para o crescimento e o auto-conhecimento do humano.
E, especialmente hoje… nós – todos e cada um de nós – carecemos demais de tudo o que é HUMANO. Para compreender, de fato, quem somos, para reaprender o sentido do amor e de amar, para poder conhecer e alinhar-se ao real sentido da nossa vida… entre tantas outras coisas…

Bom vídeo-semente para todos nós!
Alessandra Rosalles

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

Comments

comments

Deixe uma resposta